Terça-feira, 22 de Janeiro de 2008
A ameaça do terror

"O Presidente da República, Cavaco Silva, disse hoje que, de acordo com as informações de que dispõe, as últimas informações de ameaças terroristas devem ser «levadas a sério» mas que não há «razões para alarme»". Fonte: Lusa, 21.01.08

Sinceramente, creio que para uma grande maioria dos portugueses, a ideia de um ataque terrorista vem muito depois das preocupações com a segurança no dia-a-dia, principalmente no que respeita aos seus filhos. Mas, demos graças a Deus por isso, mais pela inflação e as prestações a subirem. Porque senão, entramos todos em estado de choque. Para qualquer um de nós que já teve que recorrer às Urgências de um dos hospitais públicos, o panorama é mais do que deprimente, ou assustador: as macas nos corredores, a angústia dos que esperam o atendimento horas a fio.

Ora, se vamos imaginar por segundos, apenas segundos chegam, que efectivamente acontecia um atentado terrorista, quem é que em Portugal, dos hospitais, ao INEM, passando por qualquer um de nós, meros cidadãos, faz a mínima ideia das regras de segurança a aplicar?

Em muitos países europeus, e claro, nos EUA, ensinam-se desde pequeninos formas de actuar em situações similares. O sair ordeiramente na sala de aula, quais as saídas indicadas, etc. O mesmo se aplica para qualquer local de trabalho ou transporte público. E se queremos aferir da boa educação dos costumes dos portugueses, basta andar pela estradas, ou por qualquer rua, de qualquer cidade, para percebermos o quanto umas aulas de civismo seriam uma das penalizações a juntar às multas. Mas tenhamos confiança de que nada de mal nos vai acontecer. Afinal, quem se lembra deste rectângulo à beira mar plantado?

in Destak 22.01.08



publicado por Luísa Castel-Branco às 11:52
link do post | comentar

7 comentários:
De J.C. a 22 de Janeiro de 2008 às 12:06
Como já referi noutro blog ... não se preocupem, no dia em que quiserem atacar a nossa capital, provavelmente atacam Madrid ...

jmack


De Lipa a 22 de Janeiro de 2008 às 16:40
Gosto de ler o que escreve, porque é sensata e diz tudo aquilo que todos pensamos mas não dizemos...

Todos os dias ao ver os telejornais e olhando ao meu redor , me pergunto, mas como é que nós portugueses que vivemos uma ditadura á "pouco" tempo e a deitamos a baixo deixamos que nos continuem a levar por parvos e desgraçadinhos?!!

Com respeito...


De paula_tavares a 23 de Janeiro de 2008 às 08:49
Ah! Luísa, os terroristas ainda cometiam o atentado em Madrid, confundem-nos com Espanha!
Mas pensando melhor, sem ironias, acho que já vivemos num terror! Não há dinheiro que chegue para se poupar e temos que fazer as nossas despesas com muita parcimónia, não nos podemos dar a luxos, porque senão entramos na lista dos devedores! O vencimento em média dos portugueses só dá para pagar as contas obrigatórias e há muitos portugueses a passar privações e fome para conseguirem manter os seus compromissos! Isto não é um terror? E quando temos que recorrer aos hospitais! Não é horrivel? E a política do nosso governo, também não é horrível? Fecham escolas, urgências, centros de ´saúde...
Fiquem bem se conseguirem, sejam felizes, façam alguém feliz!
Paula Tavares, Chaves


De João Cordeiro a 23 de Janeiro de 2008 às 11:31
Luísa,
não precisamos de terroristas externos nesta Républica de "Bananas", pois eles já cá estão dentro e nem necessitam de se camuflar.
E, curioso estão todos muito bem colocados...

Beijo sonhador


De a 24 de Janeiro de 2008 às 16:58
Dando a devida importância ao terrorismo "a sério", confesso que me aterroriza mais a prestação da minha casa :(


De Patrícia a 24 de Janeiro de 2008 às 22:38
Sinceramente espero que os terroristas não se lembrem de Portugal mas eu suspeito que eles próprios percebem que terroristas já nós o somos. Quem nunca andou de metro a partir das 18h não sabe o que perde. Ali há de tudo empurrões , e mesmo que não haja espaço eles não se importam de empurrar uma criança para entrarem porque tem de ser "aquele metro "porque não há mais...É uma vergonha não há educação. São poucos os que cedem lugar a um idoso ou a uma grávida. São poucos os que se lembram de pedir licença para passarem em vez de empurrar. Agora se já são assim só porque é o metro das 18h imaginem se fosse uma ameaça. Era o pânico geral, sim porque são poucos os que conseguem manter a calma, sao poucos os educados e poucos os que se preocupam com o do lado.Não seria certamente " um por todos e todos por um".


De Maria de Lourdes a 28 de Janeiro de 2008 às 20:58

Que ninguem se assuste, tudo no nosso país está uma tamanha desordem que de vez em quando faz um jeitão haver uma notícia para despistar a atenção .


Comentar post

.links
.pesquisar neste blog
 
.mais sobre mim
.tags

. todas as tags

.arquivos

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Setembro 2012

. Maio 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Setembro 2006

blogs SAPO
.subscrever feeds