Quarta-feira, 21 de Maio de 2008
Palavra mágica: Mãe

Dirigiu-se uma vez mais para a clínica. O ritual era sempre o mesmo. E, mês após mês, quando fazia a análise e descobria que não tinha engravidado, não conseguia deixar de se esconder e chorar baixinho.

Estava um dia lindo. O sol começava a aquecer as ruas, e havia o bulício normal das primeiras horas da manhã.
Mesmo ao lado da clínica, por coincidência, havia um jardim-de-infância.

E sempre que ela chegava, lá estavam os carros a pararem em segunda fila, as mães aceleradas a subirem a calçada, com os pequeninos numa mão e os cestos na outra.

A ironia da situação não a deixava indiferente. E, a maior parte das vezes, ia um pouco mais cedo só para ficar parada na rua a vê-los entrar no pátio da escola, aos gritos, a correrem, cheios de vida.

Vida. Palavra mágica.

Para uma mulher, a maternidade era algo tão natural, tão... simples. Pelo menos era assim que ela pensara até ao dia em que descobrira que com ela o caso era diferente.

E quando pela primeira vez foi à consulta, e entrou na sala repleta de mulheres de rosto ansioso e esgotado, percebeu que, afinal, ser mãe não era para todas.

Mas recusava-se a desistir. O marido começava a dar sinais de saturação. Para ser verdadeira, era bem mais do que isso.

Havia nele um afastamento cada vez maior. Dela, do projecto de ter aquele filho tão desejado. Quiçá deles mesmos e do seu casamento.

A ela, o que a alimentava eram aqueles dias em que se dirigia à clínica, e ficava parada na rua, encostada à parede de um prédio e sonhava acordada o dia em que seria ela a passar aquela porta, com o seu filho pela mão e o cesto de verga.


in Destak 20.05
 


publicado por Luísa Castel-Branco às 20:07
link do post | comentar

5 comentários:
De Isabel a 23 de Maio de 2008 às 11:29
Olá Luisa
Hoje sou mãe duma linda menina de 2anos e meio.È a alegria da casa e de todos quantos a rodeiam, pois é uma criança muito alegre, simpática e claro para mim a menina mais bonita do mundo :)
Antes desta abençoada gravidez, sofri um aborto espontaneo...que me deixou marcas muito profundas não tanto fisica mas psicológimente.
Houve alturas em que pensei que nunca mais iria ser mãe,receando que aquela tivesse sido a 1ª e unica opurtunidade...
Felizmente nem eu nem o meu marido temos problemas de infertilidade, mas posso imaginar um pouco do que é desejar um filho de alma e coração...
A todas as mulheres que lutam contra as adversidades da vida, para alcançar o seu sonho deixo um voto de alento e esperança , porque por vezes milagres existem.
Bem haja...


De Jaquim a 26 de Maio de 2008 às 09:17
Cabra!!


De Luísa Castel-Branco a 27 de Maio de 2008 às 09:53
Jaquim,´
Cabra? Meu caro, não podia ter desenvolvido um bocadinho mais? A língua portuguesa tem inúmeros vocábulos adequados a insultos. Aproveite para praticar e já agora, quanto à razão não perca tempo a explica-la.
Gente frustrada e cobarde pronta a enviar insultos a coberto do anonimato é o que há mais!


De Cópia Oculta a 27 de Maio de 2008 às 17:41
Cada vez que penso nas coisas nestes moldes, vejo como fui uma felizarda em ter uma linda menina sem ter que passar por esta angústia.


De Patricia Gaspar Mesquita a 28 de Maio de 2008 às 22:35
Tive a experiência da maternidade fez o mês passado 5 anos e ainda hoje não consigo explicar o quão maravilhoso é...
Tenho agora a dura verdade de ter 32 anos e não poder ter mais filhos (não queria nada que a Leonor fosse filha única :/ )
Tenho cancro da mama, curavél (espero) e quando recebi a noticia, Setembro passado, a única coisa que pensei foi " será que posso ter mais filhos?", mas o bicho é hormono-sensivel o que torna as coisas menos faceis.
Apesar de tudo penso que nasci pra ser mãe e quando olho para a Leonor a dormir muito quentinha e com lábios cor de rosa agarrada ao seu coelhinho Dudu, digo em pensamento "obrigado" ... Não sei bem a quem, mas agradeço.
E agradeço, também, pela possibilidade de partilhar ... desabafar... o nó na garganta já se foi... porque mesmo assim ... sou muito feliz ... porque sou amada...
Beijo no coração
PS: Não espero resposta, espero apenas que possa dizer a alguém ... "conheci uma blogger que me disse que é possível ser feliz, mesmo nos momentos mais dificeis, se procurar ... encontra razões pra sorrir"



Comentar post

.links
.pesquisar neste blog
 
.mais sobre mim
.tags

. todas as tags

.arquivos

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Setembro 2012

. Maio 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Setembro 2006

blogs SAPO
.subscrever feeds