Quarta-feira, 28 de Maio de 2008
Este buraco no estômago!

Faltam exactamente 4 dias, 100 minutos, 6.000 minutos e 36.000 segundos.

Estou a ser ridícula eu sei, mas venho aqui quando preciso de desabafar ou se quiserem, pôr por palavras os meus medos.

Deveria falar alto, mas já o fiz com quem posso, o que quer dizer com quem está ao meu lado, que os meus filhos, quando lhes falo deste buraco no estômago que sinto com  a proximidade do lançamento do meu livro, riem-se de mim.

Ainda vivem com a certeza de que eu posso fazer tudo. Se calhar foi por eu os ter ensino que os únicos desafios na vida são connosco mesmos e que vale sempre a pena tentar superar o medo e voar.

Depois disto não posso esperar que digam outra coisa a não ser: Vai tudo correr bem.

Aliás, eles nem sequer percebem o que estou a dizer.

E será que o meu companheiro de vida o percebe?

E eu?

Não estou com medo que as pessoas não gostem do meu livro. Claro que preferia que algumas gostassem. Não estou a pensar se vou vender muito ou pouco., Claro que gostava de vender. Não estou em competição com ninguém. Mas não me saem da cabeça as palavras mágicas de Agustina, Lobo Antunes, e muitos mais.

A única forma que tenho de explicar este buraco no estômago é ...que parte de mim ficará para sempre naquelas paginas que vão andar pelas mãos das pessoas e é como se ...parte de mim passasse a ser pertença dessas mesmas pessoas.

A televisão é algo tão descartável, tão instantâneo. A rádio idem.

Mas os livros, ah! esses são aquilo que nunca desaparece, mesmo quando já ninguém se lembra deles a não ser quem escreveu aquelas palavras!



publicado por Luísa Castel-Branco às 23:43
link do post | comentar

8 comentários:
De PELAGIA a 29 de Maio de 2008 às 00:14
Luisa,
Se a sua entrega neste livro foi total (e eu sei que foi!), cada palavra sua espelhará um "alguém" nos nossos olhos.
Mas tudo o que partilhar ao publicar este livro será sempre, e só, seu!
Tudo o que os nossos olhos e corações virem e sentirem no seu livro, nas suas palavras, não será mais nem menos do que pedaços de nós próprios e que desejaremos (re)encontrar.
Obrigada pela sua dádiva, pela sua coragem. Só por isso, o seu livro é já um sucesso, e a Luísa uma vencedora!
Saudações.


De a 29 de Maio de 2008 às 15:00
Vai correr muito bem...vai correr muito bem... Espero que o Livro tenho um enorme sucesso. :)


De João Cordeiro a 29 de Maio de 2008 às 17:24
Cara Luisa,
Foi com expectativa que li a notícia do lançamento do seu primeiro romance.
Queria felicitá-la pela coragem de nos oferecer um pedaço de si.
E pelo título, Alma e os mistérios da vida, será certamente o olhar íntimo e pessoal que caracterizam a sua forma de estar na vida.
Esse nó no estômago que sente é normal e reflecte o “medo” de algo novo que vamos dar de nós.
Mesmo que esse pedaço, não seja grandioso, é sempre uma realização.
E como diz Artur Clarke:
"Se não pudermos realizar grandes coisas, podemos pelo menos fazer muitas pequenas coisas com grandeza".
Irei certamente ler o seu romance.
Pena é que muitos dos anónimos que por aqui andam, não possam também contribuir com o talento que possuem. Mas, estamos em Portugal.
Neste cantinho à beira-mar plantado, apenas conseguem vencer a barreira das editoras, os autor-futebolista, actor-de-novela, apresentadeiro-telegénico, rameiras-finas e afins.
Ou seja: ou se faz algo de mediático (seja aquilo que for) e se aparece no Jornal da Noite de um qualquer canal televisivo e o nome fica pregado à imagem, ou edita por tua conta. Também se pode ter a sorte de ser filho ou enteado de alguém do Jet7… e assim, poder começar por escrever qualquer história, ou pedir a alguém que redija uma intriga. Agora, é só escolher a melhor proposta/editora.
Eu, já publiquei um, e tive de pagar a edição. E como eu, existe muita gente a quem nunca é dada uma oportunidade… porque neste país apenas se pensa no lucro.
Peço desculpa pelo desabafo…

Um abraço e muitas felicidades para o seu novo projecto.

JC


De Maria José Pacheco a 30 de Maio de 2008 às 14:08
Ainda bem que os livros não são descartáveis,e que o que se escreve não se apaga com a rapidez com que esquecemos o que ouvimos na televisão e na rádio. Ainda bem que a Luísa nos vai presentear com mais um amigo para a nossa mesinha de cabeceira, algo que possamos ler, reler, voltar a desfolhar.....Obrigado Luísa, acredite vai ser um êxito.


De MT a 30 de Maio de 2008 às 15:01
:-) É um buraquinho, não é um "buraco".

Só a sua existência, para nós já é um "feito" maravilhoso, o livro é só mais um complemento que vai enaltecer ainda mais o que nos transmite e Dá !

Estou certa que as palavras escritas serão a continuidade da paz do seu olhar!


beijinho


De ml a 1 de Junho de 2008 às 18:56
Aquela sensação, como os ingleses dizem, de "borboletas na barriga"!
Vai correr bem!


De Patrícia a 1 de Junho de 2008 às 23:27
Desejo-lhe toda a Felicidade com este seu livro ! Certamente vai agarrar muitos leitores ! A Luísa delicia muitas pessoas com as suas palavras. Percebo a sua preocupação e acho-a de uma extrema humildade mas também sei que vai conseguir alcançar o que quer.
Beijinhos


De Jaquim a 2 de Junho de 2008 às 09:07
Es uma cabra... Mas fazes-me um filho?


Comentar post

.links
.pesquisar neste blog
 
.mais sobre mim
.tags

. todas as tags

.arquivos

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Setembro 2012

. Maio 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Setembro 2006

blogs SAPO
.subscrever feeds