Quarta-feira, 20 de Agosto de 2008
Como não deixar morrer o romance

Mariana disse sobre O Feitiço da Lua na Terça-feira, 19 de Agosto de 2008 às 11:15: 
 

Olá querida amiga Luisa, quando me falou no meu Alentejo (sou de Portalegre), vieram-me também a mim memórias da minha juventude, o meu lado romantico veio de novo ao de cimo, sim porque nós queiramos ou não, achamos que o romantismo é para os miudos e só sobrevive na adolescencia depois apaga-se, desvanece-se a vida também nos leva a isso verdade? mas teremos nós culpa por isso acontecer? Deveríamos nós ser sempre uns eternos românticos? Talvez, mas como fazer o romance existir, por exemplo, numa casa com três filhos e outro que trago no ventre a caminho, e com isto ser romantica ? Entende o que quero dizer? Ando numa azáfama todo o dia e á noite estamos mortinhos para cair na cama e dormir o sono dos justos e confesso que o romantismo é coisa que ficou, não extinta, mas que se tem vindo a adiar...mas não o deixemos morrer Luisa. Uma grande beijoka com a minha amizade e admiração.

 

Mariana,

Quem passou por ai sabe bem o quanto é dificil, para não dizer a maior parte do tempo impossivel, criar um ambiente romantico, ou se quiser, espaço para viver o tal romantismo que nos vai na alma.

A rotina é aniquiladora dos sentimentos, das cumplicidades e as crianças então, é como se de repente o nosso mundo começasse e acabasse com eles, com o medo de que algo lhes aconteça, enfim, tudo.

Mas, há sempre um mas, se a relação a dois sobrevive, então para o futuro existem milhares de recordações que nos vão alimentar para o resto da vida.

Na verdade, as mulheres e os homens vivem esta experiência de forma diferente e muitas vezes os nossos parceiros sentem-se afastados do nosso universo de mãe.

A mensagem que gostaria de lhe deixar é apenas uma, se ama e é amada, saboreie cada momento e considere que também isto é intimidade e romantismo.

Um grande beijo para si e para a sua familia e também para o novo membro do clâ.

 

 

 



publicado por Luísa Castel-Branco às 09:26
link do post | comentar

2 comentários:
De mariana a 20 de Agosto de 2008 às 09:59
Obrigado pelas suas palavras e tenho de reconhecer que tem razão quanto ao facto de que ao ser amada e feliz só por si já é viver num clima de romance e acho que eterno ou não temos mesmo é de saber saborear todos os momentos com sensibilidade, carinho, amor, ser paciente e acho que é aí que está o segredo da vida...Uma grande beijoka e um bom resto de semana


De Homem de Lata a 20 de Agosto de 2008 às 16:50
hei-de amar sempre, mesmo que o resto do mundo me ame apenas por instantes.


Comentar post

.links
.pesquisar neste blog
 
.mais sobre mim
.tags

. todas as tags

.arquivos

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Setembro 2012

. Maio 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Setembro 2006

blogs SAPO
.subscrever feeds