Terça-feira, 11 de Novembro de 2008
A dor maior do mundo
 
 

Nunca imaginara que existisse uma dor tão forte, tão pungente, tão violenta que lhe cortava o corpo, como facas espetadas.

Era como se todo o oxigénio tivesse sido sugado ao Universo e ela tentava sofregamente respirar, mas não conseguia e na verdade, também não o queria.

Aquilo que ela realmente desejava era fechar os olhos para sempre, deixar de existir como o seu filho, partir para o mesmo local onde ele agora estava e, por isso, o simples acto de abrir os olhos todas as manhãs era uma violentação.

Que fazia ela aqui, quando a melhor parte de si tinha-lhe sido roubada, de repente, sem sentido?

A casa continha o perfume dele, entre as paredes escondidas as gargalhadas dele, e os seus olhos doces, castanhos, estavam pintados por todo o lado, como um véu que cobria tudo o que restava do que fora a sua vida.

Ah! Porque não fora ela a partir? Porque estava condenada a viver, se cada dia era como uma pena pesada, se cada dia era um dia que tinha sido roubado ao seu amado filho!

Ah! Onde estava o seu Deus? Onde estava a tal paz que a Fé lhe devia transmitir mas nada, não sentia nada a não ser revolta, raiva, uma fúria que lhe dava vontade de arrancar os cabelos mas não tinha forças, não existia já e para ali ficava, no quarto dele, a porta fechada ao mundo, ela a mexer nos apontamentos dele, a letra tão desigual, tão viva!

O que restara dele eram essas pequenas coisas. A camisola enrolada na cadeira, o computador fechado, os livros abertos. A realidade era aquilo? Aquele quarto que nunca mais seria habitado?

Ela morria todos os dias um pedacinho, e era isso o futuro.
Porque não morrer de uma só vez?

 

in Destak 11 | 11 | 2008  



publicado por Luísa Castel-Branco às 10:13
link do post | comentar

1 comentário:
De lena a 12 de Agosto de 2009 às 10:19
Não posso....nem quero sequer imaginar tamanha dor!!!!
Perdi um PAi....sei k um dia irei perder aquela que é e será sempre o meu PILAR...a minha MAE...desejei varias vezes ir antes dela...não ter de sentir a dor de a ver partir sem mim....mas agora...AGORA QUE SOU EU TAMBÉM MAE....entendo o que tantas vezes ela me respondia...que nem digas isso minha filha.... agora entendo minha MAE!!!
Um filho....é um pedaço de NÒS!!!
um enorme beijo


Comentar post

.links
.pesquisar neste blog
 
.mais sobre mim
.tags

. todas as tags

.arquivos

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Setembro 2012

. Maio 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Setembro 2006

blogs SAPO
.subscrever feeds