Terça-feira, 20 de Janeiro de 2009
A planta
 

Tinha colocado lá fora a planta. Não gostava daquela planta e deixou-a ali para morrer. O Verão acabou. Vieram as chuvas e o frio e nunca mais se lembrou.

Num domingo, esse dia mais longo da semana, sentada sem se mover, os olhos perdidos na rua, reparou então na planta. Que assombro! Tinha crescido, forte, bonita. Frondosa.

Deixou-se ficar para ali a olhar para aquele milagre, como se o crescimento de uma planta fosse algo verdadeiramente importante. Mais tarde, quem sabia do assunto explicou-lhe que a planta normalmente morreria mas se tal não acontecesse, adaptava-se e transformava-se numa planta de exterior.

Pensou para si mesma que era igual ao que acontecia aos seres humanos. Houve um tempo em que pensara que iria morrer, ou então simplesmente definhar devagarinho até desaparecer para sempre.

Mas não. Habituara-se ao silêncio total da casa, à ausência de palavras, gestos ou o que quer que fosse.

A sua vida era um deserto. Árido. Sem vida.

E contudo, tal como a planta que não morrera, os dias escorriam, os meses passavam, e ela ainda ali estava. Pouco a pouco, pensou para si mesma que se esquecera já que um dia fora amada. Que um dia a sua cama tinha tido alguém, o seu braço esticado tocava no corpo dele, quente, quente. Não era verdade, não, o seu corpo e a sua alma reclamavam-no. Mas ela era aquela planta. E tal como a planta, também ela se limitava a estar e nada mais.

 
 
in Destak 20 | 01 | 2009


publicado por Luísa Castel-Branco às 11:52
link do post | comentar

1 comentário:
De Henriketa a 20 de Janeiro de 2009 às 15:04
De facto adaptamo-nos a tudo, somos de uma elasticidade enorme. Só não tenho a certeza de que isso seja uma virtude assim tão grande...secalhar com menos adaptação reivindicavamos mais!
um abraço
H.


Comentar post

.links
.pesquisar neste blog
 
.mais sobre mim
.tags

. todas as tags

.arquivos

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Setembro 2012

. Maio 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Setembro 2006

blogs SAPO
.subscrever feeds