Terça-feira, 24 de Fevereiro de 2009
bofetada é crime, porte de pressão d'ar, não!!!

 

 

 

 

 

 

 

Cara Luísa,

 

 

 

 

 


   Venho aqui mostrar a minha indignação com as leis deste país e solicitar-lhe que isto seja divulgado, porque não acredito que alguém com um mínimo sentido do que é justo possa concordar com isto.
 
Sou divorciada e tenho um filho de 12 anos que visita o pai quinzenalmente.
 
No passado dia 9 de Janeiro, fui confrontada pela directora de turma do meu filho que este levara para a escola uma pressão de ar.
 
Fiquei surpresa, pois nunca deixei o meu filho brincar com armas e, até aos action man que lhe davam eu retirava as armas. Sou vegetariana e pacifista. Abomino a violência e nunca permiti armas na minha casa.
 
Ao questionar o meu filho, fiquei a saber que fora o pai quem lhe dera esse "brinquedo" há já dois anos pelo Natal.
Fiquei a saber também que o pai se gabara de, quando fogem, ter tido uma e a ter usado para dar um tiro na perna de um funcionário da escola (continuo).
 
Para levar a arma para a escola, faltou a uma aula para ir a casa do pai buscar a arma. (Perdão, é um "brinquedo" e não uma arma. Pois a nossa lei não a considera uma arma).
 
Indignada, telefonei para os avós paternos do meu filho, que não compreendem onde é que está o problema do meu filho ter uma pressão de ar, pois eles acham perfeitamente normal. Aliás, como o pai do meu filho não trabalha, foram eles quem "patrocinou" a compra do "brinquedo".
 
Furiosa e revoltada, fui à esquadra tentar apresentar queixa pelo facto de terem colocado uma arma na mão do meu filho. Mas não o pude fazer! Porque não há crime!!!
 
Se o meu filho, com o seu "brinquedo" sem querer, furar a vista a um colega ou a um professor e se, revoltada, eu lhe der uma bofetada, sou presa por agredir o meu filho. Mas ele pode andar aos tiros nos baldios junto à escola, porque a pressão de ar "não é uma arma", logo, tal não é considerado crime.
 
O meu filho falta ao respeito aos professores e é, por vezes, agressivo com os colegas. Falta às aulas. recusa-se a estudar. Eu, todos os dias converso com ele, tento colocá-lo no bom caminho pela via do diálogo. Mas em vão, pois o meu filho só ouve o que lhe interessa. Eu nunca lhe faltei com o carinho nem com o diálogo. Tento incutir-lhe responsabilidade e respeito pelos outros, mas sou obrigada a deixá-lo ir para o convívio com um pai que faz de tudo para destruir a educação do meu filho. E o resultado está à vista... já não me respeita e muito menos me obedece.
 
Ainda não há muito tempo, uma surra metê-lo ia na ordem! Mas não pode ser. É crime.
 
Desesperada, liguei para a linha de apoio às crianças em risco. Mandam-me conversar com ele! Como se eu não o fizesse! Disse que há anos que tento fazê-lo, mas que já não resulta. Dizem que, nesse caso, não sabem o que me dizer mais... Dói... Dói não podermos educar os nossos filhos como fomos educados (e que resultou) e não haver ninguém que nos ensine como o devemos fazer. Qualquer dia tiram-mo e pregam com ele numa instituição qualquer, com miúdos delinquentes, onde não vai aprender nada de bom. Mas não me dão oportunidade de educar o meu filho longe da má influência de um pai alcoólico e que vive à custa dos pais porque não quer trabalhar.
 
Fiz uma petição ao Juiz do Tribunal de menores para impedir o meu filho de voltar para o pai, mas vai levar meses até que se prenuncie... Até lá, não vou deixar o meu filho ir para o pai. Só espero que este único modo que encontrei de proteger o meu filho da má influência do pai, não seja usado, mais tarde, contra mim!
 
 Eu, já não sei o que fazer. Tenho dias em que já nem me apetece ir para casa. Apenas tenho vontade de desaparecer...
 
Luísa

 

Leitora devidamente identificada

 

A todos que por aqui passam, transcrevo um email enviado para este blog no intuito de obter a maior participação possível através das vossas opiniões e conselhos para a leitora.

As minhas palavras não serão suficientes e este assunto interessa a todos nós: pais; educadores; professores ou simples cidadão de um País que carece de uma opinião publica interveniente.

 



publicado por Luísa Castel-Branco às 09:07
link do post | comentar

19 comentários:
De Cláudia a 26 de Fevereiro de 2009 às 22:00
Como compreendo o desespero desta mãe...
E pela minha própria experiência posso dizer-lhe que a resposta que espera do tribunal de menores irá com certeza demorar tempo demais e que que também tem que contar que pode simplesmente dizer: " a tendência é para a guarda partilhada por isso não se vai alterar nada do que já acordaram" ou ainda "os pressupostos do acordo inicial não se alteram pelo que não se vai impedir o pai de conviver com o filho". É revoltante mas daí, cara mãe, não pode esperar muito.
Desejo sinceramente que tenha muita força e que consiga contrariar a má educação que o pai está a dar ao seu filho mas nunca se esqueça que apenas pode contar consigo.
Quanto à aberração das nossas leis subscrevo o que diz mas deixo-lhe a minha opinião: não pode dar-lhe uma palmada em publico porque pode ir presa mas pode fazê-lo em privado. As crianças precisam de uma palmada de vez em quando e estou certa que isso deixar-lhes-á menos mazelas psicológicas que a má educação. Isso sim deveria ser crime.

congelado

De Maria Neves a 27 de Fevereiro de 2009 às 14:05
Só desejo expressar o meu apoio à Sr. ª que tem com problemas com o filho. Mantenha-se firme nas suas posições. Um dia o seu filho vai reconhecer o que está a fazer por ele. Vivi uma experiência com um filho adolescente e lutei sempre por lhe incutir valores. Ele cresceu.. e tudo passou. É muito difícil e muitas vezes ninguém compreende o sofrimento que vai por aí. Os homens em geral... "baldam-se" das situações e nós mulheres, muitas vezes sós, é que temos que arranjar forças e lutar. Força.

congelado

De milu carrito a 1 de Março de 2009 às 23:04
Gostava de poder ajudar a leitora, ou melhor a mãe deseperada desse mail. Mas como mãe só me posso tornar solidária, porque deve ser desesperante ainda mais num pais como este em que os deliquentes e os que contornam a lei são os mais protegidos. Só lhe desejo FORÇA para poder continuar a sua luta e esperarmos que este país melhore a nivel de leis e punições de quem não se guia pela infracção.

congelado

De {{coral}} a 2 de Março de 2009 às 02:48
Olá Luisa,
Li com atenção o texto que a leitora lhe enviou, e que mais se poderá dizer em situações destas...
Um simples desabafo: Os pais que temos, as leis que temos, os Tribunais que temos!
Espero que a sua leitora não desapareça como lhe apetece fazer, e que a paciência dela não esgote, e tente que filho através do psicologo da escola (ou o Centro de Saúde da area de residencia...) seja acompanhado.
Boa sorte para ela.
Voltarei mais vezes para ler os seus artigos.
Teresa

congelado

De airgun a 1 de Abril de 2009 às 00:41
suas cromas uma pressão de ar é uma arma de recreio não é um brinquedo!!! Santa ignorância..


De José Francisco a 18 de Abril de 2009 às 21:53
Mas que absurdo!!!!
Achar que uma arma de pressão devia ser crime, é simplesmente uma grande besteira!
Armas de pressão sao para esporte e lazer.Mas nao ha necessidade dessa vagabunda achar que esta errado o pai dar uma arma de pressão ao filho para o mesmo praticar tiro esportivo com a devida segurança.
mas esta errado deixar o proprio filho levar a arma de pressão ao colegio.
Mas vai tomar no meio do cu de vcs!! bando d vagabundos ignorantes e filhos da puta pacifistas e vegetarianos!!!


De Scott a 26 de Junho de 2009 às 03:24
Isto è uma vergonha,o rapaz tem todo o direito de ter uma arma de recreio,mas vou tentar ajudar-te.
Eu tenho 14 anos,nao tenho armas e vou-te dar alguns conselhos:
1-Isto ja nao é como era,se lhe tocas ele vai-se virar contra ti.
2-Porque tanto barulho por uma arma de recreio,tanto lhe pode dar para magoar alguem com uma faca que tambem se vende a menores.
O que vais fazer a seguir?
Nao o vais deixar fumar,nao o vais deixar ter relaçoes sexuais?
Tu nao sabes mas ele ja pode ter feito isso tudo.
Se o controlares ainda vai ser pior.
E so para acabar a arma é do rapaz,ele pode fazer o que quiser com ela,ja agora porque nao fazer barulho por vender facas a menores,ou canivetes,ou jarros tambem podem ser uma arma,cai em ti,tudo em redor de um ser humano serve como arma.


De Gonçalo Alves a 8 de Julho de 2009 às 15:16
Com o devido pedido de desculpas pelas possíveis susceptibilidades que eu possa ferir, sinto necessidade de intervir demonstrando a minha preocupação pela criança, ao olhar para o que li.
Não pela pressão de ar (que, possivelmente será uma Soft-Air e não uma Pressão de Ar no verdadeiro sentido da palavra). Para começar temos de saber distinguir as coisas, uma coisa é uma Carabina de Ar Comprimido que dispara/lança chumbos e tem uma pressão de segundos por metro, muito maior do que uma simples Soft-Air. Outra coisa é uma arma de CO2 que tem uma pressão grande, também dispara chumbo (que perfuram), e pode ser transportada como arma curta... e uma soft-air que dispara/lança umas pequenas bolas amarelas e cuja perigosidade é discutível.
Mas isso não é tão importante assim, uma vez que esse tipo de "brinquedos" poderão ou não, ser proibidos pela própria Escola, de entrar no recinto, tal como pistolas de água, balões de água, bombinhas de Carnaval e outros que tais.
O que me afecta é ver uma mãe Vegetariana/Pacifista e um Ex-Marido Carnívoro (certamente), Não-Pacifista (obviamente), para além de Desempregado (como foi afirmado), degladiarem-se pela educação do seu filho. Só imagino a confusão na cabeça do rebento destes "2 mundos", a ORDEM e o CAOS levamos ao extremo, tentando incutindo no filho as suas filosofias de vida, a qualquer custo. Um vai à policia apresentar queixa por causa de uma pressão de ar e tem medo de ser presa por mandar uma bofetada no filho... e o outro, com gosto pela agressividade, pelas traquinices que praticou (e que nada lhe ensinaram), com o completo apoio dos seus próprios pais na educação do neto. Penso que a Pressão de Ar é o MINIMO dos problemas daquele aluno e dos seus familiares.


De PRESAO DE AR SEMPRE a 9 de Julho de 2009 às 19:35
DEVIAM ERA DAR PRESSOES DE AR TAMBEM AOS OUTROS PUTOS MAAS AKELA KE N ALEIJAM PARA ELES FAZEREM UM COMBATES


De airguner a 19 de Agosto de 2009 às 01:27
Eu peço desculpa mas nao acho mal o miudo ter uma pressão de ar...(dependendo da idade claro) mas como aqui um amigo ja falou os maiores problemas dele e o confronto ou rivalidade que ha entre o pai/mae. um ensina o bem outro o mal e claro que o miudo escolhe o mal pois e o mais divertido.
Eu tenho 15 anos e tenho uma carabina de pressao de ar eu nao a uso como arma nem tao pouco a levo para a escola eu uso-a para tiro ao alvo aqui por casa ( tenho um terreno grande) e entro em concursos aqui da zona com ela.
Educação faz falta mas nao o "obrigue" mostre-lhe o que e certo e errado faça-o ver as coisas. se voce o obriga ele vai fazer completamente o contrário vai tentar desafiar a sua autoridade e sai asneira. eu sou assim mas tento fazer o certo, nem sempre o faço mas pelo menos tento. tenho a certeza que o miudo tambem tenta mas coitado tem 2 frentes autoritarias com ele que lhe tentam ensinar exactamente o contrario. tente fazer com que o pai mude de pensamento. eu sei que e dificil mas e pelo bem do miudo...


Comentar post

.links
.pesquisar neste blog
 
.mais sobre mim
.tags

. todas as tags

.arquivos

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Setembro 2012

. Maio 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Setembro 2006

blogs SAPO
.subscrever feeds