Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Luísa Castel-Branco

Porquê aceitar o que não nos satisfaz?

Luísa Castel-Branco, 30.07.08
Paula Martins disse sobre Sessões de Autografos - Venham conversar! na Terça-feira, 29 de Julho de 2008 às 11:54:


     

 

Olá Luísa,
Por vezes venho dar uma espreitadela ao seu blog, admiro-a pela força que tem e pelo ser humano fantástico que me parece ser, hoje também eu tive necessidade de desabafar, de falar de dizer parvoíces sei lá qualquer coisa que me tirasse este aperto no peito. Não sou lamechas (ou até sou, mas gosto de me fazer de forte).
Vou lhe contar algo sobre mim, os últimos comentários que vi no seu blog eram acerca de uma senhora que passa por dificuldades, acho que nós mães divorciadas que suamos sangue para dar o melhor aos nossos filhos sabemos do que falamos, eu também sou divorciada, tenho dois filhos, trabalho durante de segunda a sexta, estudo á noite e ao sábado faço limpezas para poder pagar a minha casa, claro que tudo isto parece a canção de mais uma pessoa que se quer fazer passar por vitima ou heroína , mas não é esse o caso, só quero deixar um comentário á Sra. que aqui escreveu, Sofia acho eu, não desista dos seus sonhos lute sempre um dia consegue, eu tenho 39 anos, um filho de 15 e uma filha de 20, lutei tanto pela minha vida, e continuo a lutar hoje sinto-me mais realizada e acredite ainda hei-de conseguir mais algumas coisas boas na minha vida.
Agora vou eu desabafar, fui casada durante 14 anos, por vários motivos divorciei-me agora estou numa relação que me desgasta, que ele me humilha, e eu não desisto de acabar com este martírio , não dependo dele, mas as coisas nem sempre acontecem no tempo que queremos, mas isto tudo para dizer que nunca devemos de desistir, e já agora Luísa pode-me dar o endereço dos sites de artesanato?
Um grande Beijinho
E por favor façam um grande favor a vocês todas.

 

Paula,

Ao ler o seu comentário senti como a realidade é muitas vezes mais pesada do que todos imaginamos e contudo, você consegue dar a volta à vida e andar para a frente...ou quase.

Porque não compreendo como uma mulher que é capaz de ser o ser humano que aqui descreve depois se contenta com uma relação que não quer, que não a satisfaz. Medo de ficar só? Haverá algo pior que a solidão acompanhada?

Tem razão, as coisas raramente aparecem na vida no momento certo mas dê a sua a si mesmo o direito à felicidade, a pequenos momentos de felicidade ou pelo menos a hipótese de respirar, de ser você mesma para além de tanta luta!

Um abraço e volte para nos contar novidades.

1 comentário

Comentar post