Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Luísa Castel-Branco

Para onde vamos?

Luísa Castel-Branco, 25.11.08
 
 

O estudo que revela o número assustador de jovens agredidas pelos namorados pode ter apanhado de surpresa grande parte dos portugueses, mas não todos.

Sei dessa realidade e desenganem-se os que os pensam que este tipo de situações ocorrem unicamente nas classes mais desfavorecidas. Muito pelo contrário, parece que a aceitação da violência por parte duma elite tornou-se já algo normal.

Mas porque nos surpreendemos? Numa sociedade em que nada é imputável aos pobres dos meninos, o que se pode esperar?

Ninguém chumba, por isso para quê estudar, não podem ser condenados por desacatos por serem menores e os pais vivem no pavor de perder o controlo (ou o amor) dos filhos oferecendo tudo e mais alguma coisa não vão eles ficar traumatizados por não terem o último modelo de telemóvel!

O que esperar de uma sociedade que promove a falta de responsabilidade, o facilitismo, o consumismo a todo o custo?

Se as leis fossem aplicadas, a maior parte da noite de Lisboa parava. Porquê? Porque os bares e discotecas estão cheios de menores a consumirem álcool! Educar é uma tarefa cada vez mais difícil. Os pais têm hoje que lutar para sobreviver à crise económica, muitos enfrentam o desemprego, muitos mais a precariedade do trabalho.

Simultaneamente, têm filhos que exigem como se fossem donos do mundo, como se tudo lhes fosse devido.

E, na verdade, onde estão os deveres desta geração?

Às agressões aos professores, entre alunos e a pais junta-se agora esta vertente. E enquanto discutimos a avaliação dos professores, onde está a discussão séria sobre o futuro àqueles que um dia governaram o país?

Porque a culpa é de todos nós!

Luisa Castel-Branco

in Destak 25 | 11 | 2008  

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.