Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Luísa Castel-Branco

Isabel disse sobre Em Nome do Filho na Quarta-feira, 30 de Novembro de 2011 às 12:21

Luísa Castel-Branco, 16.12.11
 

 

     

Subitamente não foi preciso esperar pelo Natal. A oportunidade de ler o seu livro sugiu pela mão de uma amiga a quem eu manifestava a minha intenção: eu já o tenho e empresto-o!! Palavras mágicas! No dia seguinte lá nos encontrámos na nossa rotina dos transportes e lá vinha num saquinho o mais desejado. Forrei-o com papel branco para não sujar a capa e nesse mesmo dia no regresso a casa comecei a ler. A viagem foi curta mas após o jantar instalei-me no meu sofá, pus os óculos, e tal como em Alma, fui devorando as páginas até que o sono e o bom senso decidiu que já era tarde e o despertador não se calaria espontaneamente de manhã. Durante esse dia não tive oportunidade de lhe pegar, mas à noite retomei a minha leitura e só o larguei quando li a última linha. Mais uma vez fiquei agarrada à sua forma de escrever, à sua capacidade de transmitir os sentimentos de uma forma tão clara mas tão intensa que me arrebata e me impele a continuar a leitura. É lógico que quando termino fico com pena porque quero sempre mais mas fiquei com o meu coração e o meu espírito prenchido. Parabéns e aviso já que fico à espera do próximo

   
 
Ah Isabel! tão bom, tão bom ler as suas palavras. A insegurança que sinto, e que sei que é partilhada por gente muito melhor do que eu, após o livro deixar as minhas mãos e partir para as livrarias e depois para as vossas mãos é tão grande!
Sinto sempre que podia ter feito melhor, que podia ter conseguido alcançar mais.
Mas "Em Nome do Filho" já não me pertence e eu sinto tal como nos outros romances que escrevi, que essas personagens existem e andam por ai e eu rezo para que encontrem o seu caminho e principalmente a paz.
Um grande, grande muito obrigada para si.
Luísa

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.