Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Luísa Castel-Branco

«Fazer renda...»

Luísa Castel-Branco, 25.09.07

Felizmente que somos livres de gostar ou não do que lemos, e de quem o escreve. Pessoalmente, sei que me arrisco mais por escrever sobre sentimentos, estados de alma, se quiserem, em vez de falar sobre a actualidade. É bem mais fácil resguardar-me por detrás do aumento alucinante do endividamento das famílias portuguesas, da falência do sistema de segurança social, da qualidade ou falta de qualidade do sistema de ensino ou de saúde, etc. Quem lê, pode ou não concordar, mas estamos a falar de coisas concretas.

Para alguns leitores do Destak , a minha escrita é uma perda de tempo. Outros leitores respondem-lhes e toda esta troca de opiniões é estimulante. Mas a razão deste texto é o comentário que é hoje o título desta crónica. Fosse eu um homem e o que me mandaria o RIMTIMTIM (?) fazer? Que tipo de insultos se podem atirar à cara ou à escrita masculina? - Vai ver futebol? Não, isso só abona em favor deles... - Vai às "meninas"? Homem que é homem assim o faz, sejam as ditas "meninas" quem forem...

Não me recordo de um único insulto que se possa dar a um macho que não seja sobre as mulheres da sua vida! Já repararam bem? O que tira qualquer homem do sério está sempre ligado à dignidade da esposa, mãe, irmã, ou filha. Querem maior machismo do que isto? E ainda me perguntam porque sou femininista!

Quanto aos leitores que se sentem incomodados com a minha prosa, estejam descansados que eu não me incomodo nada. Cheguei aos 53 anos e é-me totalmente indiferente o que os outros pensam. Vou continuar a escrever sobre sentimentos. Se não gostam, virem a página!

Publicado in Destak

14 comentários

Comentar post

Pág. 1/2